Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intendo do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glórias, pois, a ele eternamente. Amém! - Romanos 11.33-36.

domingo, 12 de abril de 2015

Fulano, tu me amas?

Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Jeremias 29:11

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Rm 12:2.

A vontade do Senhor para nós é boa, agradável e perfeita, e ele só tem pensamentos de paz para nós.
Todavia, para experimentarmos essa paz e essa vontade divinas, precisamos sair da passividade!

Paulo, de muito boa vontade gastou-se, e deixou-se gastar pelas almas dos coríntios. Ele os amava, amava o reino, e não houve passividade alguma em sua vida! 2 Coríntios 12:15.

Até quando estava para ser morto pelo Império Romano, ele trabalha para o reino, ele se gastava pelo reino: 2 Tm 4.

Nenhum comentário:

Postar um comentário