Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intendo do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glórias, pois, a ele eternamente. Amém! - Romanos 11.33-36.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O encorajamento de Deus

Diante de tantas situações difíceis que diariamente enfrentamos, existem momentos nos quais o desânimo bate à porta de nossas mentes e corações. Em tais momentos, chegamos à conclusão de que não há razões para prosseguir em tão árdua caminhada, que todo o nosso viver constitui-se em "dar murro em ponta de faca" e que, de fato, vivemos em um universo no qual os fracos não têm vez, sendo nós os fracos em questão. Parece não haver nada que possa dar cor a um viver tão cinzento, trazer vida a um coração tão amortecido, a uma mente tão fatigada.

É exatamente nesses momentos que mais precisamos ouvir a voz de Deus a nos encorajar, e é exatamente nesses momentos que nos parece que o seu silêncio está no ápice.

Mas isso é somente uma "parecer" pois, a voz do Senhor nos encoraja, se não audivelmente, através de cada gota de chuva que cai sobre nós, através de cada raio de sol por entre as nuvens que nos aquece o rosto e, principalmente, através de cada pessoas que amamos e que nos amam que cercam o nosso viver. Ele coloca pessoas em nossas vidas para que, justamento nos momentos em que pensarmos em desistir, possamos olhar para esses amados e ver que Ele os colocou em nossas vidas para dar maior sentido ao nosso viver, e forças para prosseguir.

Então, quando tudo ao seu redor te disser para parar, olhe para a pessoa amada que está ao seu lado e perceba nela a voz de Deus te dizendo para continuar.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Dicas para se relacionar bem


É comum as pessoas utilizarem as redes sociais para se queixarem quanto à falsidade e hipocrisia alheia. Para evitar que sejamos rodeados desses males, seguem três dicas: não seja maledicente, pois se o for atrairá para si e se envolverá com o mesmo tipo de pessoa; seja cauteloso e paciente no desenvolvimento de novos relacionamentos (não entre de cabeça!); peça discernimento ao Senhor.

Entregamos a Deus todas as áreas de nossas vidas, a amorosa, a eclesiástica, a financeira, a profissional, mas parecemos nos cegar para o fato de que Ele também deve ser Senhor de nossa vida social. Nossas amizades também devem glorificar a Deus, como em tudo em nossas vidas e, para isso, é necessário buscarmos d´Ele a direção para estabelecermos, afastar-nos ou corrigir nossos relacionamentos amigáveis.

Não podemos nos esquecer de que, como seres humanos, sempre falharemos e sempre encontraremos falhas nos outros, e por isso mesmo precisamos ser pacientes e tolerantes, exortando-nos uns aos outros com amor e buscando o crescimento sadio de nossas amizades.

Muitas vezes nossas carências afetivas nos levam a desenvolver relacionamentos imprudentes, dependentes e doentios, e isso não é amizade. O único que pode nos preencher em toda e qualquer área é o Espírito Santo, e uma vez que isso for uma realidade em nosso viver, estaremos livres para uma construção de relacionamentos que glorifiquem a Deus.


Relacionamentos honestos glorificam a Deus, e devem ser desempenhados com o mesmo esmero, com a mesma dedicação com que labutamos em nossas relações profissionais e eclesiásticas, por exemplo.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Dicas para viver bem

É comum as pessoas utilizarem as redes sociais para se queixarem quanto à falsidade e hipocrisia alheia. Para evitar que sejamos rodeados desses males, seguem três dicas: não seja maledicente, pois se o for atrairá para si e se envolverá com o mesmo tipo de pessoa; seja cauteloso e paciente no desenvolvimento de novos relacionamentos (não entre de cabeça!); peça discernimento ao Senhor.

sábado, 26 de outubro de 2013

Essas coisas chamadas mãe

Vou usar de franca sinceridade (só pra variar): sempre achei o ser mãe, e as mães em si, a coisa mais sem graça do mundo. As mulheres mudam, se enfeiam, decaem em todos os sentidos, especialmente no físico, depois que se tornam mãe. Pensava eu em como um homem poderia continuar a amar uma mulher depois que ela se torna mãe e se torna esse ser que não vive, esse ser de outro planeta, segundo meu pensamento. Sim, eu sei que minhas palavras são até monstruosas, mas era o que de fato eu pensava. Olhava uma mãe na rua e pensava: Meu Deus! Como ela se tornou isso?! E a palavra "isso" era carregada de toda depreciação que se pode conhecer!

É claro que eu tive (e tenho) mãe, ao contrário do que minhas expressões desalmadas podem fazer parecer, mas sequer eu podia entender como ela pode abrir mão de uma vida para ser: mãe!

Pense em uma palavra carregada de toda a feiura do mundo. Pois bem. Essa palavra era a palavra "mãe" para mim.

Acho que consegui deixar claro todo o asco que o ser mãe, que uma mãe provocava em mim.

Mas, graças a Deus, fui resgatada das trevas, da escuridão, do limbo no qual eu vivia no quesito mãe. Tornei-me mãe? Não. Não foi isso o que me resgatou.Foi ver toda a beleza que uma mulher que se torna mãe possui, e foram-me abertos os olhos para tal beleza ao ver minha melhor amiga brincando, cantando e pulando com sua linda filha, ao ver essa garotinha com os olhos brilhando à simples chegada na escola, e igualmente na simples saída da mesma; meus olhos foram abertos quando vi que, sim, o físico, as motivações, intensões, disposições de uma mulher mudam quando ela se tornam mãe, mas todas essas mudanças são acompanhadas de uma beleza sem igual, de um brilho no olhar sem igual, de um propósito de vida sem igual. Agora entendo porque a minha melhor amiga é a mulher mais linda do mundo.

Não deixo aqui de mencionar minha mãe por não ter as mesmas considerações por ela, mas porque esse texto é para a mulher mais linda do planeta em questão, para a mãe de quem mais irradia brilho no mundo, para aquela em cujos olhos mergulho e encontro todo o significado da vida, da existência; essa mãe que me mostrou um mundo no qual as mães são mulheres magnânimas, maravilhosas e, mais uma vez, lindas.

Obrigada, mãe, por, inclusive na minha antiga concepção, ter aberto mão de uma vida para ser minha mãe e, na minha nova concepção, ter se aberto para a coisa mais grandiosa e linda do mundo. Eu amo você. Obrigada, melhor amiga mais linda do mundo, por me fazer ver toda a beleza que há em você, e que nada além da nossa riqueza poderia revelar. Eu te amo.




domingo, 29 de setembro de 2013

O Homem e sua Origem - Debate na EBD

PARA RICHARD DAWKINS, O ÚNICO CONHECIMENTO SEGURO QUE PODEMOS TER DO MUNDO É O CIENTÍFICO.
 
Errado, até porque até mesmo as histórias da Bíblica, que tanto são atacadas e criticadas, nunca foram derrubadas pela ciência.
 
A TEORIA DA EVOLUÇÃO E A CRENÇA EM DEUS SE ENCAIXAM PERFEITAMENTE, UMA VEZ QUE DEUS PODE TER USADO A EVOLUÇÃO PARA CRIAR O QUE EXISTE.
 
Sim, pois Deus deu o primeiro empurrão e com o passar dos tempos as coisas foram se ajeitando ao que elas realmente seriam. Essa é a explicação dos cientistas que querem se passar por mais espertos que Deus, uma coisa impossível de acontecer.
 
Deus é o único criador dos céus e da terra.
 
 

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Solitude

Numa busca desenfreada por preencher o vazio da alma, o vácuo da solidão, e a carência causada pela sociedade moderna, o homem busca saciar-se em fontes rotas, pútridas e malévolas, que ao invés de beneficiá-lo, levam-no à destruição. Refiro-me a relacionamentos doentios com pessoas, coisas e escapes evanescentes que levam consigo o pouco que ainda restava naquele ser.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O que é saudade?

Os dicionários definem "saudade", mas se eu pudesse fazê-lo, seria da seguinte forma:

Saudade: substantivo feminino de dor, sofrimento e angústia na alma; vazio infinito; buraco negro, situado no coração, que não para de crescer e suga a pessoa para dentro dele; ausência do que é essencial para a vida.

domingo, 15 de setembro de 2013

Magnitude da aflição

Nossos momentos de grande aflição muitas vezes não são definidos pela magnitude do que acontece, mas pela magnitude de nossas emoções em relação ao que acontece.

Amizade é...

Amigos, presentes de Deus! Amizade é liberdade com responsabilidade, é apoio com verdade, é abrir a alma sem falsidade. "É um estar-se preso por vontade", é servir com dignidade e integridade. Amizade que oprime, obriga, culpa e acusa não é amizade. Amizade é aquela voz que nos encoraja a prosseguir, é descobrir que há uma luz no fim do túnel, é identidade no olhar, é dar-se por inteiro, por amor. É aquilo que o tempo não apaga, que a distância não enfraquece, que o coração jamais esquece. É amar o outro como ele é, ajudando-o a melhorar, mas não ignorando os desfeitos e deslizes. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, ainda que eu conhecesse todos os mistérios da ciência, ainda que eu distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, se eu não tivesse AMIGOS, eu nada seria. Obrigada, meu Deus, porque eu tenho cada um dos amigos que o Senhor me deu. Eu te amo e amo a cada um deles.


Anuviaram

São Paulo, 10 de junho de 2013 :( 

A segunda-feira começou linda, uma daquelas raras segundas-feiras lindas, sabe? Céu limpo e azul lindo, sol radiante, parcas nuvens brancas de algodão enfeitando o céu. Mas nossa alma chovia em lágrimas, pela partida de querido amigo, de um amor de nossas vidas, de um sorriso tão radiante quanto o sol. E nosso coração se acinzentou, e, em solidariedade a nós, o céu, com suas nuvens também se acinzentou. No momento em dissemos nosso último adeus, o céu se fechou, anuviando-se conosco. Mas sabemos que um dia novamente ele se abrirá, e com lindos rais de sol e nuvens novamente de algodão, reunirá a todos mais uma vez e para sempre, a fim de que, deixado para trás o pranto, cantemos eternamente em união uma feliz canção.


terça-feira, 2 de julho de 2013

Entrevista com o escritor Alcindo Almeida


Em primeiro lugar, gostaria de saber como/quando surgiu o desejo de escrever?
Certo, bem novo fui despertado por uma professora que motivou a gente a ler. Eu tinha 10 anos de idade. E aquilo despertou em mim o desejo pela imaginação. E quando amadureci comecei a escrever meus pequenos textos e eles se transformaram em livros no futuro.


Seu cotidiano é repleto de atividades: família, igreja, devocional, escrita. Como você se organiza, de onde vem tanta disposição e qual o seu mecanismo para não ficar estafado? 

Tenho uma vida absolutamente intensa como marido, pai, pastor e escritor. E ainda tenho algumas atividades como: analisar livros, escrever artigos para a Revista Lar Cristão e revisar livros. E participo de um grupo de apoio pastoral chamado Projeto Timóteo há 15 anos. Creio que quando alguns leem algo assim, pensam assim: essa pessoa não dorme e não tem tempo para absolutamente nada. Isso é um engano, durmo bem menos do que a maioria das pessoas, mas tento compensar nas minhas folgas.

Tenho uma vida que chamo de disciplinada. Eu fui influenciado por um professor que tive no Ginásio (Escola Epitácio Pessoa – na Zona Leste de São Paulo) - professor Afonso. Não me esqueço deste homem! E quando fiz GV, eu tive a influência de um professor chamado Jair Latorre que dava uma matéria chamada MMFD (Máquinas, Materiais, Ferramentas e Dispositivos).

O primeiro era uma pessoa absolutamente disciplinada, com regras e nos desafiava em tudo mesmo como adolescentes. Aquilo impactou a minha vida, porque ele era professor de educação artística. Ele nos fazia viajar e sonhar com nossa própria história. Quanto ao meu professor na GV, Jair Latorre era meu ideal como profissional. Na primeira aula ele disse: “Não admito atrasos, entregas atrasadas de trabalhos. Não admito brincadeiras fora do tempo, mas jogarei bola com vocês. E farei de vocês verdadeiros profissionais na vida”. Ele não sabia que Deus o usaria para me moldar para o pastorado e para marcar minha vida. Hoje eu tenho uma vida em todos os sentidos com disciplina.

Leio no mínimo 30 páginas por dia, quando dá leio 100 páginas ou mais, apenas depende do dia. Mas, estabeleço regras para tudo. Leio 5 capítulos da Bíblia e vou indo assim há alguns anos. E para isso não há muito segredo. Talvez o maior segredo chama-se a palavra que já fiz menção: disciplina. Nós temos doze horas pelo menos por dia, então aproveito ao máximo e claro que deixo algumas coisas de lado. TV por exemplo é algo que vejo pouco. Não sei de novelas, pois, só vejo TV de quarta à noite com mais frequência por causa do futebol e procuro ver alguma palestra ou filme com a minha esposa.

Creio que a disposição vem sempre do Eterno Deus e o mecanismo para não ficar estafado é ter um tempo de lazer no meio de tudo isso e não azedar diante das lutas e desafios da nossa vida.

Ainda no mesmo tópico da pergunta anterior, podemos dizer que seus horários são bem puxados. Você fica acordado até de madrugada. Pode nos falar um pouco mais sobre isso?

São mesmo, sim durmo sempre tarde. Com exceção do sábado que vou para cama mais cedo. Nos demais dias sempre leio e escrevo até tarde da noite.

Como surgiu a Série Intimidade com a Palavra?

Eu estava escrevendo no Livro de Salmos e fiz 3 volumes de devocionais. Em seguida escrevi os textos de Filipenses e Tiago. Conversando com o Emílio Júnior, ele deu a sugestão de fazermos uma série da Bíblia com uma capa e um padrão na sequência. E ele pediu para eu pensar no nome da série. Pensei, pensei por vários dias e veio a ideia:  Série Intimidade com a Palavra.


Você, é claro, consulta vasta bibliografia para seus escritos. Você as seleciona previamente ou, conforme vai lendo, “surge” o que será utilizado? Qual a forma de apontamentos/notas que você utiliza?

Sim, faço consultas, mas isso acontece enquanto estou no projeto do texto. Sempre que pego alguma ideia ou citação de algum autor, chamo o rodapé e coloco a obra e sempre no final faço o trabalho normal de referências.

Você tem um cronograma, horário, local específicos para escrever ou o faz quando, onde e como puder?

Prefiro escrever no período da noite, mas as leituras e devoções nas Escrituras sempre faço nas manhãs. Atualmente estou com uma vida meio corrida, então tento administrar o tempo durante o dia.


Apesar de nada original, gostaríamos de saber quem é seu autor predileto.

Puxa vida, querida Juliana! Essa é dureza para responder porque tenho vários. Mas, se você perguntar qual o que mexe mais comigo respondo: Eugene Peterson. E um segundo é Henri Nouwen.

Você lançará um novo livro agora em julho, sobre o evangelho de Mateus. A expectativa é sempre grande a cada lançamento, ou já se tornou algo natural?

Nada, sempre tenho grande expectativa e sempre fico com um frio na barriga. É sempre joia para meu coração colocar nas mãos das pessoas um escrito meu. Sinto-me sempre feliz e com um sentimento de trabalho realizado. Só sinto que no Brasil é duro o trabalho de um escritor novo como eu.

Qual o público que você deseja alcançar com essa nova obra?

Pretendo atingir aqueles que gostam do assunto espiritualidade. Na verdade não trabalharei o texto todo de Mateus porque é bem longo e com capítulos longos também. Abordarei o texto dos capítulos 5 a 7 de Mateus que foram transformados em 20 capítulos no meu livro, Vida Sincera.

Por que o livro de Mateus?

Não tem um motivo específico, chegou o tempo de Mateus. O próximo será um livro que comecei a escrever sobre casamento e depois provavelmente um devocionário. E depois retorno para Provérbios de Salomão.

Qual é o caráter de sua obra: didático, devocional, histórico?

Eu diria que é divido em três: didático, devocional e voltado para a espiritualidade bíblica.

Quanto tempo foi necessário para a realização dessa obra?

Eu levei cerca de um ano e meio.

Encerro a entrevista agradecendo a atenção e a disposição do querido pastor e escritor Alcindo Almeida que, em meio a tantos afazeres, arrumou um tempinho para nos atender.