Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intendo do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glórias, pois, a ele eternamente. Amém! - Romanos 11.33-36.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Saudade II



A saudade é uma dor imensa, uma tristeza gigantesca que, lá no fundo do coração, pega a alma em suas fortes e impiedosas mãos e a esmaga, tanto e com tanto poder, até o ponto de a alma escorrer por entre seus dedos. Mas ela também tem o seu lado bom: de lá do fundo do coração, ela, como que se fosse uma luminária com raios de luz que partem de um centro e se abrem clareando tudo ao seu redor, enche de luz o restante do coração, mostrando como é grande o amor que lá habita. Ela é uma forasteira indesejada, mas que mostra ao proprietário da terra quem e o quanto ele realmente ama. Ela traz consigo o valor das coisas, o verdadeiro valor. É isso que estou sentindo por vocês: saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário