Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intendo do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glórias, pois, a ele eternamente. Amém! - Romanos 11.33-36.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Mergulho profundo

Mergulhada no poço da depressão,

Vejo a luz entrar pelas frestas da janela.

Percebo que ainda há esperança para mim.

A luz do Sol consegue transpassar as nuvens chuvosas,

E seus raios alcançam minha alma funesta.

Os pensamentos fúnebres são dissipados,

Pelo calor que aquece a minha alma.

Os sentimentos lúgubres

Dão lugar ao anseio pela vida novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário