Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intendo do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glórias, pois, a ele eternamente. Amém! - Romanos 11.33-36.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Gélido

Estou parada no tempo,
Esperando minha vida começar.
Vivendo uma tristeza mordaz em um dia
E um entorpecimento gélido em outro.
Agarrando-me a cada pequena coisa que possa me segurar,
Segurando-me firmemente em miudezas que possam me alegrar.
Tenho a certeza de um lugar melhor,
Mas não tenho a certeza de conseguirei chegar lá.
Um sonho muito perto e real,
Mas que não consigo me enxergar acordando e vendo que realmente estou lá.
Cada coisa a que me agarro se esvai por entre meus dedos,
E cada coisa a que me seguro furta-se com esmero.
Vou perdendo tudo aos poucos
E nunca ganho o prêmio da perseverança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário