Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intendo do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glórias, pois, a ele eternamente. Amém! - Romanos 11.33-36.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Amizade – Teus amigos te aceitam, mas, e Jesus, te aceita?


Quero, de antemão, deixar claro que, quando eu me referir aos amigos terrenos, refiro-me aos pseudo-amigos, ou seja, àqueles que não são amigos verdadeiros, comprometidos com a Palavra de Deus, que querem nosso bem, mas àqueles falsos amigos, que nos incitam a andar por caminhos tortuosos, que nos incentivam a abandonar os preceitos divinos. São aqueles que dizem ser até vergonhoso ser um cristão autêntico.

Pois bem. Todas as pessoas são diferentes umas das outras. Somos indivíduos, ou seja, somos únicos. Cada um de nós possui características próprias, peculiares. Podemos ter características semelhantes às de outras pessoas, mas ninguém possui exatamente as mesmas características que outra pessoa, idênticas, o mesmo e inalterado conjunto de característica. Contudo, sempre procuramos nos associar àqueles que mais se parecem conosco, ou buscamos aqueles com quem nos assemelhamos.

Isso vale tanto para nossas amizades humanas, como para nossa amizade com Cristo. Para sermos amigos dEle, temos que parecer com Ele, gostar das mesmas coisas que Ele gosta, fazer as mesmas coisas que Ele fez, pensar como Ele, sentir como Ele e, além disso, abominar o que Ele abomina.

Não é bom viver sozinho, e há amigo mais chegado que irmão. O ser humano é um ser social por natureza. Nos agrupamos, vivemos em sociedades, que nos aceitam. E é precisamente sobre isso que quero falar agora: aceitação, a necessidade que o homem tem de ser aceito.

Bem, vivemos em uma grande sociedade, a humanidade, dividida em sociedades menores, grupos, sejam eles grandes, médios ou pequenos. A própria igreja local é dividida em grupos (mocidade, irmãs, adolescentes, coral, crianças, obreiros, diáconos etc.), só para exemplificar. Como dito, sempre procuramos nos estabelecer em grupos compostos por indivíduos com características semelhantes às nossas, afinal de contas, queremos ser aceitos e, como também já dito, somos seres sociais por natureza. Ocorre que, em nossa busca por amigos e por aceitação e por uma identidade, muitas vezes, nos associamos a pessoas que, embora pareçam ser iguais a nós, se mostram completamente distintas, isso acontece inclusive na igreja, e essas pessoas nos apresentam coisas que devemos fazer para sermos aceitos em sua sociedade, em seu grupo. Aí é que está o x da questão de nosso assunto aceitação: buscamos um grupo parecido conosco, ou que pensamos ser, e fazemos o que é necessário para adentrar e permanecer nesse grupo. Esse grupo, então, nos mostra uma série de comportamentos que precisam, que devem ser adotados para que possamos fazer parte dele; ou seja: as pessoas pertencentes a este grupo nos mandam, nos ordenam fazer coisas que nos qualificarão a ter a “honra” de fazer parte deste grupo. Vale lembrar que, muitas vezes, nem é um grupo, é apenas uma única pessoa a quem queremos nos associar. Até então não parece haver nada de errado, afinal, Jesus também nos mostra coisas que devemos praticar, caso queiramos “fazer parte do grupo dEle”. Todavia, Jesus não nos manda fazer nada que venha a nos prejudicar, enquanto que aqueles que muitas vezes queremos por amigos, nos exigem atitudes que nos conduzem à morte, senão física, espiritual. Repito: isso é realidade inclusive na igreja. Note que os grupos nunca colocam as coisas como elas realmente são: imposições; eles as apresentam como uma opção, uma escolha, mas te forçam a fazê-las, por meio de pressões psicológicas, chantagens emocionais e situações armadas, arranjadas. Mas, sim, você tem escolha: escolha fugir destes grupos, escolha fugir da aparência do mal (1 Ts 5.22).

Para ser aceito no grupo de Jesus, que é o Corpo de Cristo, constituído tanto da igreja universal (todos os crentes de todas as épocas), quanto da igreja local, bem como para fazer parte dos grupos dentro da igreja local, você também precisa preencher certos requisitos, como ser batizado nas águas, por exemplo, mas ninguém te pressiona ou obriga a isso. Você tem o livre arbítrio: a verdade é exposta e você aceita se quiser.

Voltando àquelas pessoas que procuramos para fazerem parte de nosso círculo de amizade, elas nos prometem muitas coisas, como, por exemplo, satisfação, felicidade, preenchimento do vazio da alma, aceitação, status, popularidade, mas quando fazemos o que elas nos requisitam, nosso estado de insatisfação, de infelicidade, de vazio na alma, se não continua a ser o mesmo, passa a ser pior do que o de antes de tais atitudes. E a popularidade que conseguimos, muitas vezes, é aquela advinda de termos nos aplicados a pessoas de comportamento destrutivo; o status que alcançamos é o de termos nos desviado do caminho reto, e termos tomado o caminho largo e espaçoso, que conduz à morte eterna.

A “vida abundante” que tais pseudo-amigos nos prometem se transformará em condenação eterna, e a única aceitação que você realmente conseguirá será a do inferno. Palavras pesadas estas, mas estreita é a porta e apertado o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que entrarão por ela (Mt 7.13 e 14), e quem quer ser amigo de Deus deve negar a si mesmo, negar a este mundo, negar aos que são amigos do mundo, tomar a cruz e seguir a Cristo (Mt 16.24 e 25  Mc 8.34-38 vai além, é mais forte; e Lc 9.23-26).

Bem, então, neste mundo, você procura por amigos, iguais a você; você procura por uma identidade, procura aceitação. Você encontra! Seus “amigos” te aceitam. Afinal, você se veste igual a eles, fala como eles, vai aos mesmos lugares, ouve as mesmas músicas e, inclusive, anda, seu modo de andar é igual ao deles. Seus “amigos” te aceitam. E Jesus, te aceita?

Aqui neste mundo você tem um grupo de amigos que te aceita, mas na hora em que a coisa apertar, devido aos caminhos não muito direitos que vocês estão trilhando, eles vão abandonar o navio, cada um com seu bote ou colete salva-vidas (que não os salvará na eternidade, diga-se de passagem), e te deixarão lá. A suposta lealdade destes teus amigos terminará quando eles tiverem que escolher entre eles mesmos e você.

Mas Jesus, se você anda nos caminhos dEle, mesmo quando as coisas ficam difíceis, mesmo quando o caminho vai estreitando e estreitando, mesmo quando a tempestade vem e a tormenta assola e castiga o barco em que os senhores estão, mesmo assim Ele não te deixa, e ainda que você pereça fisicamente, Ele te garante a vitória final, a salvação da sua alma, a eternidade com Ele, em glória e em vitória.

A fidelidade de Jesus não tem comparação. Quando Ele teve que escolher entre Ele mesmo e você, Ele escolheu você.

Teus amigos te aceitam, mas e Jesus, Ele te aceita?

Você com certeza sabe o que fazer pra ser aceito por seus amigos: como já dissemos, vestir o mesmo que eles, comer o mesmo que eles, ouvir o mesmo que eles, ir aos mesmos lugares, ver o mesmo que eles, falar as mesmas gírias e palavras torpes (palavrões) que eles. Mas, se você quer ser aceito por Jesus, que ser amigo dEle, o mais verdadeiro, fiel, leal e digno amigo, assim como você faz com os amigos desta terra, você, como também já mencionamos, precisa gostar das mesmas coisas que Jesus, agir como Ele, pensar, sentir como Ele, e não gostar do que Ele não gosta. Vejamos.

Versículos

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome – Jo 1.12. CRER.

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna – Jo 3.16. CRER.

E os fariseus, ouvindo que ele fizera emudecer os saduceus, reuniram-se no mesmo lugar. E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas – Mt 22.34-40. AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO.

Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros – Jo 15.13,16 e 17. DAR BONS FRUTOS E AMAR AO PRÓXIMO.

Se me amais, guardai os meus mandamentos. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras – Jo 14.15,21,23 e 24a. GUARDAR OS MANDAMENTOS.

As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão – Jo 10.27 e 28. CONHECER A VOZ DE CRISTO E SEGUÍ-LO.

Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte – Pv. 14.12 e 16.25.

Os retos fazem o seu caminho desviar-se do mal; o que guarda o seu caminho preserva a sua alma – Pv 16.17.

Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus – Tg 4.4. AMIGOS DO MUNDO = INIMIGO DE DEUS.

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade – Jo 4.23 e 24. ADORAR A DEUS EM ESPÍRITO E EM VERDADE.

O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras – Tt 2.14. SER PURO, ESPECIAL, ZELOSO DE BOAS OBRAS.

E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado– Ef 1.5 e 6. SUAS ROUPAS GLORIFICAM A DEUS? SEU TRABALHO, A MANEIRA COMO VOCÊ ENCARA OS ESTUDOS, TRATA SUA FAMÍLIA, SUA MANEIRA DE OLHAR, SEUS OLHARES, SEU PENTEADO GLORIFICAM A DEUS? E SUA MANEIRA DE FALAR, SEU LINGUAJAR, SEU VOCABULÁRIO?

Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas – Ef 2.10. ANDAR NAS BOAS OBRAS DE DEUS, NOS CAMINHOS DE DEUS, QUE ELE MESMO CRIOU PARA NÓS.

E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado – 1 Jo 1.5-7.

E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou – 1 Jo 2.4-6.

Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas. Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo. Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos – 1 Jo 2.9-11.

Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre – 1 Jo 2.15-17.

Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai. E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna – 1 Jo 2.24 e 25. E O QUE OUVIMOS DESDE O PRINCÍPIO FOI PARA AMARMOS A DEUS E GUARDARMOS SEUS MANDAMENTOS.

Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça [o que é direito, o que é correto aos olhos de Deus] é nascido dele – 1 Jo 2.29.

Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro – 1 Jo 3.1-3.

Qualquer que comete pecado, também comete iniqüidade; porque o pecado é iniqüidade. E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu. Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como ele é justo. Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus. Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros – 1 Jo 3.4-11.

Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte. Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele. – 1 Jo 3.14 e 15.

Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade – 1 Jo 3.18.

E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado – 1 Jo 3.23 e 24.

Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros – 1 Jo 4.7-11.

Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão – 1 Jo 4.20 e 21.

Vemos que João fala constantemente do amor ao próximo. Se aquele seu “amigo” diz que é seu amigo, ele deve te amar. Mas se ele te manda fazer coisa errada, ele não te ama, pois quem ama não faz o amigo pecar.

Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus manda-mentos; e os seus mandamentos não são pesados. Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? – 1 Jo 5.1-5.

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca – 1 Jo 5.18.

Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém. – 1 Jo 5.19-21.

E muitas vezes nosso ídolo é aquele amigo, ou aquele grupo de amigos, que, segundo os preceitos e valores deste mundo, é um grupo irado, uma tribo da hora, mas cujos caminhos conduzem à morte e à perdição eternas.

Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo – 1 Co 2.16.

Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo – 2 Co 10.5.

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração – Cl 3.1 e 2,5,8-10,12,14 e 16.

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai – Fp 4.8.

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós, Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo – Ef 4.29-32.

Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito – Pv 4.18.

Sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros – Rm 4.19.

Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos – Pv 6.16-19.

Abominação ao SENHOR são os perversos de coração, mas os de caminho sincero são o seu deleite – Pv 11.20.

Abominação é ao SENHOR todo o altivo de coração; não ficará impune mesmo de mãos postas [ainda que ele junte mão à mão / certamente não ficará impune / é evidente que não ficará impune] – Pv 16.5.

Você pode estar preocupado, pensando o seguinte: “Bem, então eu não posso ter amigos nesta terra.” Vou te dizer duas coisas: Jesus, como amigo fiel, supre todas as tuas necessidades, inclusive a necessidade de amigos, e amigos realmente parecidos com Ele. BASTA VOCÊ FICAR ATENTO À VOZ DELE PARA DISCERNIR. Segundo, você não precisa se isolar neste mundo, nem deve fazê-lo; o que você precisa é se afastar daqueles que escarnecem, zombam de Deus e ser sal da terra e luz do mundo, como Jesus disse que você é – Sl 1 e Mt 5.13-16.

Jeremias, profeta do Deus Vivo, porque não profetizava o que seus compatriotas queriam ouvir, foi rejeitado por todos, mas aceito e honrado por Deus.

Agora, cabe a você decidir de quem você quer ser amigo, por quem você quer ser aceito: pelo mundo, juntamente com aqueles que o amam, inclusive o diabo, já que ele é o deus deste mundo, ou por Deus.

Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando – João 15.14.